Voos - Índia

idealo Preisfinderidealo Preisfinder - Finde den niedrigsten Flugpreis nach Abflugsort und Datum
Selecionar o voo de partida apropriado:
Inserir Voo de Retorno
Selecionar o voos de retorno apropriado:
Selecionar o voos de retorno apropriado:
Inserir Voo de Retorno

Dicas de viagem sobre o destino: Índia

Índia – o país, sua geografia e fatos interessantes

A Índia, o sétimo maior país do mundo, é formado pelo subcontinente indiano - das costas do oceano Índico e estende-se até ao Himalaia. O país é fronteiriço com o Paquistão, a China, o Nepal, o Butão, o Mianmar e o Bangladesh. A palavra índia deriva do nome do rio Indo, cujo nome provém do persa antigo Hindu, derivado do sâncrito Sindhu - que significa “País às margens do rio”. Chama-se “hind” em Urdo, um dialecto muito semelhante ao hindi que ainda é falado ao Paquistão. O nome oficial é Hindi Bharat (união). O norte da Índia foi denominado “país dos hindus”, pelos conquistadores muçulmanos. A religião da Índia é o hinduísmo, praticada por cerca de 78% da população. Pelo número de practicantes é a maior religião da Ásia e uma das mais antigas do mundo. O subcontinente é composto por 28 estados federais, que diferem entre si basicamente por suas identidades linguísticas. Oficialmente são reconhecidos 23 idiomas, distintos por mais de 1.600 dialectos. O hindi é a língua franca nacional, compreendida por cerca de 30% da população. No sul do país, o hindi também não é compreendido. A língua que realmente serve como elemento unificador em todo o país é o inglês.  

A segunda maior religião do país é o islão, com mais de 100 mil milhões de praticantes. Com isto, a Índia é um das maiores comunidades muçulmanas em todo o mundo. Mas somente no norte do país, esta religião é muito difundida - tanto que pode-se reconhecer sua influência na arquitectura, na arte e nos hábitos alimentares. A cultura indiana foi decisiva para toda a região do sudeste asiático e denomina a culinária, a indumentária, a música, a dança e a filosofia. Além das grandes produções cinematográficas comerciais (Bollywood/Kollywood) há também uma grande tradição do cinema de grandes directores. Devido ao grande número de línguas, não há “a” literatura hindu, mas sim um grande número de literaturas indianas.

A Kanchenjunga é o ponto culminante do país, com 8.598 metros, que eleva-se no extremo oeste de Siquim, junto à fronteira com o Nepal. A Nanda Devi é o ponto culminante completamente dentro do território indiano, com 7.822 metros de altura. Não existe um ponto mais profundo do país que o oceano Índico. O Brahmaputra é o rio mais longo do país com 2.900 km; contudo, o Ganges é muito mais importante. Com seus 2.600 km, é a artéria vital do norte. O Ganges nasce nas montanhas do Himalaia e deságua no golfo de Bengala. O Ganga, como os indianos o chamam, é sagrado para os hindus - um banho no Ganges poderá absolver o penitente de todos os seus pecados. Para romper com o ciclo de morte e renascimento (carma), muitos hindus desejam morrer junto ao Ganges, preferencialmente em Varanasi, pois sabem que suas cinzas serão espalhadas no rio. À exceção das regiões de montanha (com clima de montanha) domina na Índia Setentrional e Central um clima continental subtropical; entre novembro e fevereiro é muito frio à noite e entre os meses de março até junho, as temperaturas diárias podem oscilar entre 40°C e 50°C. No sul, contudo, é quente durante todo o ano. Ali há poucas oscilações de temperaturas e, com isto, mais suportável.

Índia – seu clima e melhor época para visitar

O clima no país é determinado pelas monções que anualmente atravessem o continente durante os meses de junho até outubro. Devido à topografia da Índia, durante o período das monções, as chuvas caem diferentemente. Na costa ocidental, nas montanhas do Himalaia e na Índia Nordeste, devido às monções pode haver inundações; na Índia ocidental e, especialmente, nas zonas costeiras do norte não há precipitações severas. Em algumas zonas, pode até não chover em muitos anos.

Índia - sua capital, outras cidades e atrações turísticas

Os estados federais e as atrações turísticas podem ser divididas nas seguintes regiões: HimalaIa: relevo montanhoso, com vales de sonho, com a possibilidade de fazer excursões maravilhosas. Na região há os estados federados do Punjabe, Himachal Pradesh e das regiões disputadas renhidamente - Jammu e Cashimir. India Central: aqui encontra-se a capital, Delhi; a Jamia Masjid, a maior mesquita da Índia; o famoso Taj Mahal, em Agra; a cidade sagrada de Varanasi e os estados federais de Haryana, Ittar Pradesh, Madhya Pradesh e Bihar. Índia Ocidental com suas encantadoras cidades no deserto e palácios de marajás com Jaipur e o Hawa Mahal (Palácio dos Ventos), Pushkar (em novembro, o maior mercado de camelos da terra), o centro económico e cinematográfico de Mumbai (Bollywood) e as praias paradisíacas com suas palmeiras nos estados federados de Rajastão, Guharat, Maharashtra e Goa. Índia Oriental é a região mais rural da Índia. Mas com Calcutá, no golfo de Bengala, a cidade cultural mais importante de todo o subcontinente e dos estados federados de Bengala Ocidental e Orissa. Índia Nordeste com as plantações de chá famosas mundialmente de Assão - na região com a maior pluviosidade da terra e os estados federados de Assão, Arunachal Pradesh, Siquim, Nagalândia, Manipur, Mizorão, Tripura e Magalaya. Índia do Sul é o paraíso tropical com coloridos templos budistas, mata densa e a paisagem dos Backwaters (águas do interior), com os estados federados de Andhra Pradesh, Tamil Nadu, Kerala, Karnataka e do arquipélago das Andamã e Nicobar, no oceano Índico. A maior cidade é Madras, com cerca de 5 milhões de habitantes.